Notícias

Prêmio Jovem Cientista

Jovens cientistas recebem prêmio no Palácio do Planalto

Publicada em: 15 de setembro de 2015

Pesquisadores brasileiros, do Ensino Médio ao doutorado, que desenvolveram soluções inovadoras sobre o tema “Segurança Alimentar e Nutricional” receberam o XXVIII Prêmio Jovem Cientista nesta terça-feira, dia 15 de setembro, no Palácio do Planalto, das mãos da presidenta da República, Dilma Rousseff.  Projetos do Ceará, Minas Gerais, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e São Paulo venceram esta edição do Prêmio, que tem o objetivo de incentivar a pesquisa e a inovação no País e é considerado um dos mais importantes reconhecimentos aos cientistas brasileiros.

 

Vencedores do Prêmio Jovem Cientista posam com a presidenta Dilma e representantes das entidades que realizam o prêmio
Vencedores do Prêmio Jovem Cientista com a presidenta Dilma Rousseff, o ministro Aldo Rebelo e representantes das instituições parceiras da iniciativa

 

“A ciência transforma o mundo. E é por isso que nós devemos dar tanta atenção no Brasil à  ciência e à inovação. Nesta premiação, vemos uma série de iniciativas que apontam para o trabalho em equipe: quando estamos juntos somos capazes de superar muitos desafios. No Brasil, temos grande capacidade criativa”, disse Dilma Rousseff. A presidenta destacou o papel da ciência no desenvolvimento do Brasil. “Num país que pretende crescer cada vez mais, e crescer considerando a capacidade de distribuir o desenvolvimento entre a população, levando melhores condições de vida a todas as pessoas, a ciência é fundamental.”

Além da presidenta, participaram da cerimônia o ministro da Ciência, Tecnologia e Inovação, Aldo Rebelo, e realizadores e patrocinadores da premiação: o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Hernan Chaimovich; o presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho; a vice-presidente do Conselho do Instituto Gerdau,  Beatriz Gerdau Johannpeter; e o vice-presidente para assuntos corporativos e sustentabilidade da BG Brasil, Paulo Macedo.

Primeira colocada na categoria Mestre e Doutor, Bárbara Rita Cardoso, discursou em nome de todos os vencedores. “Só quem faz ciência sabe o trabalho que dá. Só quem ama a ciência sabe o prazer que proporciona”, resumiu.

Presidente da Fundação Roberto Marinho, José Roberto Marinho lembrou a saída do Brasil do mapa da Fome da ONU. “Uma conquista que nos motiva a continuar avançando rumo a uma alimentação cada vez mais farta e saudável para todos”, disse. Para a vice-presidente do Conselho do Instituto Gerdau,  Beatriz Gerdau Johannpeter, “o caminho para o desenvolvimento e a competitividade passa pela inovação e pela pesquisa científica”. “O prêmio tem trazido pautas estratégicas e inovadoras”, destacou. O vice-presidente para Assuntos Corporativos e Sustentabilidade da BG Brasil, Paulo Macedo, destacou o esforço dos jovens: “A dedicação de cada pesquisador e de cada aluno, é de suma importância para o desenvolvimento do Brasil, e deve ser ressaltada.”

O presidente do CNPq também saudou a dedicação dos pesquisadores. “Cumprimento aqui todos os brasileiros que fazem possível a existência de ciência, tecnologia e inovação. E só através da ciência a gente poderá ultrapassar os desafios presentes e futuros”, disse Hernan Chaimovich, abrindo a cerimônia. “Essa iniciativa premia a ciência a serviço do desenvolvimento humano, do progresso, da elevação do padrão de vida da sociedade e das pessoas”, defendeu o ministro Aldo Rebelo.

O tema da próxima edição do Prêmio Jovem Cientista foi anunciado pelo presidente do CNPq durante a cerimônia. A próxima edição vai abordar o papel da Ciência e da tecnologia social para aprender e ensinar. A abertura das inscrições está prevista para o primeiro semestre de 2016. A cada edição do Prêmio Jovem Cientista é indicado um tema importante para o desenvolvimento científico e tecnológico, que atenda às políticas públicas e tenha relevância para a sociedade brasileira.

Entre os trabalhos contemplados na 28ª edição do prêmio estão um filtro que permite ao consumidor identificar fraudes no leite; um modelo inovador de agricultura urbana, que oferece um sistema sustentável de produção e aproxima os consumidores dos produtores; e um estudo sobre a castanha-do-brasil como fonte de suplementação de selênio para idosos, que se revela importante aliado na prevenção do Mal de Alzheimer. Além dos estudantes, também foram homenageadas instituições de ensino com grande número de trabalhos de qualidade inscritos. A categoria mérito científico contempla pesquisadores com trajetórias dedicadas à ciência.

O Prêmio Jovem Cientista é uma iniciativa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), em parceria com a Fundação Roberto Marinho, e conta com patrocínio da Gerdau e da BG Brasil.

 

PREMIAÇÃO

Na categoria Mestre e Doutor, os vencedores recebem R$35 mil (1º lugar); R$25 mil(2º lugar) e R$18 mil (3º lugar). Para estudantes do Ensino Superior, os valores sãode R$18 mil (1º lugar), R$15 mil (2º lugar) e R$12 mil (3º lugar). Estudantes do Ensino Médio em 1º, 2º e 3º lugares recebem um laptop.

 

No Mérito Institucional, serão pagos R$40 mil para cada uma das duas instituições que inscreveramo maior número de trabalhos com mérito científico. Opesquisador indicado para o Mérito Científico receberá R$40 mil.

Além da premiação relacionada, todos os agraciados recebem bolsas de estudo do CNPq, nas modalidades de iniciação científica até o pós-doutorado. Os primeiros lugares de cada categoria (Mestre e Doutor, Estudante do Ensino Superior e Estudante do Ensino Médio) também participam da Reunião Anual da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC), que em 2015 aconteceu entre os dias 12 e 18 de julho no campus da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), em São Carlos, SP.