Notícias

Museu do Amanhã

Semana do Meio Ambiente no Museu do Amanhã

Publicada em: 2 de junho de 2017

A Semana Nacional do Meio Ambiente contará com programação especial no Museu do Amanhã. As atividades começam nesta segunda-feira (5/6) com o Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas, que lançará o Relatório Especial: Litoral em Mudança. Na terça-feira (6/5), o seminário “Ecos da Rio-92: 25 Anos Depois” receberá cerca de 20 especialistas sobre o tema, incluindo jornalistas e representantes da ONU, em debates sobre o que mudou desde então e os próximos desafios. Mais informações no site do museu.

 

05/06 (segunda-feira) | 8h30-13h30 | Relatório Especial: Litoral em Mudança
Lançamento do relatório especial “Impacto, vulnerabilidade e adaptação das cidades costeiras brasileiras às mudanças climáticas”, que tem como objetivo apresentar dados atuais sobre o tema e fornecer subsídios para e políticas sobre mudança do clima e o Plano Nacional de Adaptação.

06/06 (terça-feira) | 8h30-17h30 | Seminário Ecos da Rio-92: 25 Anos Depois
Após o encontro que reuniu 117 chefes de estado e colocou as questões ambientais na agenda mundial, o Museu do Amanhã abre as portas para um debate multidisciplinar sobre como caminhamos desde então, e quais desafios ainda não superados na busca por um planeta mais equilibrado.

9 a 11/06 (sexta a domingo) | 10h-18h | Festival Comida e o Feminino
A comida será apresentada como uma ferramenta de transformação do mundo, das relações humanas e ainda do empoderamento feminino.

10/06 (sábado) | 10h-18h | Virada Sustentável Rio 2017
Os painéis “Alimentação Saudável e Sustentável”, “Igualdade de Gênero” e “Comida e o Feminino” têm como objetivo aumentar o engajamento da sociedade em relação à sustentabilidade, usando elementos lúdicos, festivos e inspiradores como ferramentas.

13/06 (terça-feira) |14h30-16h30 | Exibição do Documentário ‘Amanhã’ (Demain)
Após a publicação de um estudo que anunciava o possível desaparecimento de parte da humanidade até 2100, Cyril Dion e Mélanie Laurent partiram com uma equipe de quatro pessoas por dez países para entender o que poderia provocar essa catástrofe e, sobretudo, como evitá-la.