Notícias

Museu da Língua Portuguesa

Experiência brasileira em museus é inspiração no Louvre

Publicada em: 19 de junho de 2017

A experiência da Fundação Roberto Marinho em conceber museus como espaços de educação, mobilização social e conexão foi inspiração em um dos principais eventos de museus do mundo, no Louvre, em Paris. Hugo Barreto, secretário-geral da Fundação Roberto Marinho, participou nesta segunda, 19 de junho, do encontro internacional “Communicating the Museum”, que este ano está reunindo 300 profissionais de museus e instituições culturais de todo o mundo para trocar experiências sobre “O Poder da Educação”.

HugoBarreto_CTM

O secretário geral da Fundação, Hugo Barreto, no workshop

 

Nos últimos 15 anos, a Fundação criou seis museus: Museu da Língua Portuguesa, Museu do Futebol, Paço do Frevo, MAR- Museu de Arte do Rio, Museu do Amanhã e Casa da Cultura de Paraty. Os museus, implementados em parceria com instituições públicas e privadas, estão entre os mais visitados do Brasil, com cerca de 11 milhões de visitantes, e são reconhecidas por seus programas educacionais e o constante diálogo com o público, especialmente com professores e estudantes.

“Para nós, a curadoria é uma prática de educação e, ao mesmo tempo, a educação é uma prática permanente de curadoria. O programa curatorial e o educativo são posicionados lado a lado, como duas forças de igual potência, desde a concepção do plano museológico”, explica o secretário-geral da Fundação Roberto Marinho, Hugo Barreto. “Nossos museus têm essa horizontalidade como um fator de mobilização para despertar a curiosidade dos visitantes e seu desejo permanente de aprender”.

Até a próxima quinta, o “Communicating the Museum” vai receber especialistas como o ex-ministro da Educação da França, Jack Lang, e representantes de instituições como Museu do Louvre, MoMA, Tate Modern, Museu Van Gogh, Instituto do Mundo Árabe e BBC.