Notícias

FRM e CIEE-MG implementam o Programa Aprendiz Legal em Minas Gerais

Publicada em: 1 de agosto de 2019

A parceria entre a Fundação Roberto Marinho e o Centro de Integração Empresa-Escola de Minas Gerais (CIEE/MG) é a nossa novidade! A partir de agosto, o CIEE-MG passa a adotar em todas as suas unidades no Estado a metodologia do programa Aprendiz Legal. A iniciativa traz aos jovens de 14 a 24 anos formação qualificada para o mundo do trabalho, além de aumentar as oportunidades nas empresas. O lançamento oficial do programa aconteceu nesta quinta-feira, às 8h30m, na sede do CIEE em Minas.

 

O programa Aprendiz Legal oferece aulas nas unidades do CIEE/MG e encaminha os jovens, após o período de formação teórica, para as empresas, onde têm a oportunidade de conseguir, na maioria das vezes, seu primeiro emprego com carteira assinada e todos os direitos trabalhistas. As atividades do Aprendiz Legal reúnem, nesta primeira fase, cerca de 500 jovens em sala de aula, que têm a chance de obter qualificação profissional contínua e de qualidade.

 

Em Minas Gerais, existe um potencial de contratação de pelo menos 97 mil jovens. Atualmente cerca de 44 mil foram admitidos como aprendizes, o que representa 45%, ou, seja, menos da metade. O Brasil tem hoje cerca de 444,1 mil, segundo dados do Boletim da Aprendizagem 2018, diante de um potencial de contratação de jovens entre 14 e 24 anos de 955 mil pessoas.
“Com o Aprendiz Legal, a Fundação Roberto Marinho trabalha para oferecer uma qualificação profissional de qualidade aos jovens, mantê-los na escola e oferecer a eles o primeiro emprego via Lei da Aprendizagem. Não podemos deixar ninguém para trás. Não podemos deixar nenhum jovem sem educação, nenhum jovem sem qualificação profissional, nenhum jovem sem acesso ao mundo do trabalho e, sobretudo, não podemos deixar nenhum jovem sem perspectiva de vida. Os jovens precisam ter assegurado seu direito à inclusão qualificada no mundo do trabalho”, afirma Marcelo Bentes, coordenador de Relações Institucionais da Fundação Roberto Marinho.

 

“Ao firmar a parceria com a Fundação Roberto Marinho e adotar a metodologia do programa Aprendiz Legal, esperamos elevar o número de jovens aprendizes beneficiados pelo programa. Nossa intenção é que todas as unidades do CIEE/MG ofereçam, além do Programa Estágios, o Aprendiz Legal”, ressalta o superintendente-executivo do CIEE/MG, Antônio Carlos Dias Athayde, ao adotar o programa Aprendiz Legal, gerido pela Fundação Roberto Marinho, a instituição espera forte expansão no número de jovens aprendizes beneficiados pelo programa. Hoje são cerca de 500 jovens atendidos pelo Programa de Aprendizagem, instituído pelo CIEE/MG há três anos.
O Aprendiz Legal contribui para oferecer aos jovens a oportunidade do primeiro emprego formal. O programa apoia a implementação da Lei da Aprendizagem (10.097/2000), que determina que as empresas de médio e grande portes destinem de 5% a 15% de suas vagas à contratação de pessoas com idade entre 14 e 24 anos, na condição de aprendizes.

 

O programa – O contrato de trabalho pode durar até dois anos e, durante esse período, o jovem é capacitado na instituição formadora e na empresa, combinando formação teórica e prática. A legislação combate também o trabalho infantil e a evasão escolar, uma vez que, para entrar no programa, é preciso estar matriculado na educação básica. Já as empresas têm a chance de aprender com jovens e formar futuros quadros de profissionais alinhados com sua cultura coorporativa.

 

O programa Aprendiz Legal, que completa 15 anos neste ano, é uma realização da Fundação Roberto Marinho, implementado em parceria com o CIEE (Centro de Integração Empresa-Escola) e a OSCIP Gerar, que são as instituições formadoras que contam com mais de mil educadores. Cerca de 16 mil empresas participam do programa em todo o País, empregando 117 mil jovens como aprendizes.